Reconhecimento de recém-nascidos pela orelha

Reconhecimento de recém-nascidos pela orelha

Empresa brasileira pretende lançar sistema de reconhecimento de recém-nascidos por imagens das orelhas: a biometria facial e digital não funciona bem em recém-nascidos. O sistema desenvolvido pela Vsoft, em parceria com a Universidade Federal da Paraíba, o primeiro no mundo, capta as linhas dentro das orelhas (iguais durante toda a vida) através de uma câmera de smartphone comum. Segunda a empresa, a identificação neonatal serve para emissão de CPFs de bebês e identificação em planos de saúde. As informações são do site Mobile Time.

“A identificação neonatal é importante porque os bebês já nascem precisando de um CPF para terem planos de saúde”

Pedro Alves, CEO VSoft

Fonte: https://www.mobiletime.com.br

Aliens vivendo na Terra

Qual é a descoberta, ou invenção, que vai transformar a humanidade? por Paul Davies, físico – Universidade do Arizona

Aliens vivendo na Terra

Charles Darwin, 150 anos atrás, nos deu uma teoria convincente sobre a evolução. Mas a origem da vida continua sendo um dos maiores mistérios de todos os tempos.

Os cientistas estão convencidos de que todas as espécies têm a mesma origem e fazem parte de uma só linha evolutiva. Mas e se não tiver sido assim?

E se a vida na Terra tiver começado não uma, mas duas (ou várias) vezes? Eu acho bastante provável que o nosso planeta possua uma segunda biosfera, com criaturas que surgiram e evoluíram à parte das espécies que conhecemos; o produto de uma segunda gênese.

Esses organismos aliens podem estar em nichos onde a vida como a conhecemos não poderia existir, devido ao excesso de calor, frio, acidez ou outras variáveis. Também podem estar bem debaixo do nosso nariz – ou até dentro dele. E, se a vida pôde começar duas vezes na Terra, isso torna bem mais provável que exista também em outros lugares.

Descobrir a segunda biosfera nos daria propriedade para afirmar: não estamos sozinhos no Universo.

Aliens vivendo na Terra

O cruzamento entre homem e animal

Qual é a descoberta, ou invenção, que vai transformar a humanidade?  por Richard Dawkins, biólogo – Universidade de Oxford

O cruzamento entre homem e animal

Um cruzamento bem-sucedido entre homem e chimpanzé. Isso é um enorme tabu, mas não é impossível.

Poderíamos criar um embrião experimental. Mesmo que gerasse uma criatura estéril, como o jumento, isso teria um impacto salutar sobre a sociedade, pois nos faria redefinir o que vem a ser humano.

Hoje, nós encaramos as células humanas como se elas tivessem algo de especial ou sagrado, e fossem eticamente diferentes das células animais (mesmo quem é contra a eutanásia em humanos, por exemplo, não se oporia a colocar para dormir um bichinho de estimação que estivesse sofrendo).

E isso vai contra a Teoria da Evolução. Mas uma demonstração prática da evolução, com o cruzamento entre homem e chimpanzé, mudaria tudo. Como já conhecemos inteiramente o DNA do homem e do chimpanzé, outra possibilidade é usar a engenharia genética para reconstruir nosso ancestral comum. Traríamos o australopiteco de volta à vida. E isso poderia (posso dizer que vai?) mudar tudo.

 

O cruzamento entre homem e animal