Nova descoberta em classe de “metais estranhos”

Nova descoberta em classe de “metais estranhos”

No novo material, a carga elétrica é transportada não por elétrons, mas por entidades mais “semelhantes a ondas” chamadas pares de Cooper. O fisico Jim Valles está aplicando abordagens matemáticas semelhantes às usadas para entender buracos negros no material. O comportamento estranho desse metal pode ser a chave para entender a supercondutividade de alta temperatura, com vasto potencial na criação de redes elétricas sem perdas e computadores quânticos.

Fonte: Universidade Brown

Pesquisadores propõem um design mais simples para computadores quânticos

Pesquisadores propõem um design mais simples para computadores quânticos

Design mais simples para computadores quânticos: o projeto de pesquisadores da Universidade de Stanford utiliza componentes comercialmente disponíveis. Um laser manipula um único átomo que pode ser reiniciado e reutilizado, modificando o estado de fótons por meio de um fenômeno chamado “teletransporte quântico”. Em computadores quânticos fotônicos, geralmente é necessário reconfigurar fisicamente o hardware para alterar um programa em execução — com esse novo design a máquina pode receber conjuntos diferentes de instruções. As informações são do site Phys.

Fonte: https://phys.org

Cientistas criam nanoantena para comunicação ultra-segura de longa distância

Cientistas criam nanoantena para comunicação ultra-segura de longa distância

O dispositivo faz a conversão de fótons em elétrons por meio de uma nanoestrutura de anéis concêntricos de ouro. Ao utilizar propriedades como emaranhamento e superposição, a tecnologia é um passo importante no desenvolvimento de tecnologias para compartilhamento e processamento de dados quânticos. As informações são do site Phys.

As informações clássicas do computador são baseadas em leituras simples liga / desliga. É simples usar uma tecnologia conhecida como repetidor para amplificar e retransmitir essas informações por longas distâncias. As informações quânticas são baseadas em leituras comparativamente mais complexas e seguras, como a polarização do fóton e o spin do elétron.

Fonte: https://phys.org