Nova startup de fusão nuclear promete reatores pequenos e que caibam em garagens de casa

Nova startup de fusão nuclear promete reatores pequenos e que caibam em garagens de casa

Segundo a Zap Energy, a tecnologia “Z-pinch” confina e comprime o plasma sem a necessidade de ímãs supercondutores ou lasers de alta potência. Na semana passada, a empresa demonstrou um marco crítico de engenharia ao criar os primeiros plasmas com 77% da energia necessária para ultrapassar o quociente de Q=1 – quando o processo de fusão produz mais energia do que foi consumida.

Fonte: site da Zap Energy

Tecnologia de fusão nuclear pode permitir extração de energia geotérmica ultraprofunda

Tecnologia de fusão nuclear pode permitir extração de energia geotérmica ultraprofunda

A perfuração até camadas profundas da Terra é muito difícil para brocas tradicionais. Pesquisadores do MIT estão testando feixes de energia direcionada para vaporizar a rocha, em um processo chamado de espalação. Uma das tecnologias utilizadas seria o girotron, que aquece o plasma dentro de reatores nucleares. De acordo com o MIT, há tanto calor abaixo da superfície da Terra, que captar apenas 0,1% poderia suprir as necessidades de energia do mundo inteiro por mais de 20 milhões de anos.

Fonte: site New Atlas

Cientistas chineses descobrem maneira de baixo custo para fusão nuclear

Cientistas chineses descobrem maneira de baixo custo para fusão nuclear

O método envolve feixes de laser direcionados a dois pequenos cones de ouro que emitem plasma de hidrogênio entre si. Apesar de os cones evaporarem após a fusão, o custo final pode ser considerado “desprezível” na operação de uma usina de energia, já que um pequeno grão de ouro pode ser utilizado para a fabricação de milhares de cones.

Assim, junto com a fusão, a equipe chinesa também precisava descobrir como fazer isso com um orçamento e lasers menos potentes. Eventualmente, eles se voltaram para um processo inicialmente desenvolvido em 1997 por Zhang Jie, um renomado físico chinês. As informações são do site Futurism.

Fonte: https://futurism.com