Nova startup de fusão nuclear promete reatores pequenos e que caibam em garagens de casa

Nova startup de fusão nuclear promete reatores pequenos e que caibam em garagens de casa

Segundo a Zap Energy, a tecnologia “Z-pinch” confina e comprime o plasma sem a necessidade de ímãs supercondutores ou lasers de alta potência. Na semana passada, a empresa demonstrou um marco crítico de engenharia ao criar os primeiros plasmas com 77% da energia necessária para ultrapassar o quociente de Q=1 – quando o processo de fusão produz mais energia do que foi consumida.

Fonte: site da Zap Energy

Levaremos 350 anos para torna-se uma civilização “Tipo I”

Ao analisar as limitações físicas de cada fonte de energia (combustíveis fósseis, energia nuclear e energia renovável) e equilibrando-as com a necessidade de limitar mudanças climáticas e níveis de poluição, a humanidade atingirá esse estado de desenvolvimento tecnológico a partir do ano 2.371. Civilizações do Tipo I são capazes de coletar, processar e utilizar toda a energia disponível em seu planeta, as do Tipo II aproveitam a energia na escala de sua estrela de origem, e do Tipo III a energia de sua galáxia.

Fonte: site Universe Today

Tecnologia de fusão nuclear pode permitir extração de energia geotérmica ultraprofunda

Tecnologia de fusão nuclear pode permitir extração de energia geotérmica ultraprofunda

A perfuração até camadas profundas da Terra é muito difícil para brocas tradicionais. Pesquisadores do MIT estão testando feixes de energia direcionada para vaporizar a rocha, em um processo chamado de espalação. Uma das tecnologias utilizadas seria o girotron, que aquece o plasma dentro de reatores nucleares. De acordo com o MIT, há tanto calor abaixo da superfície da Terra, que captar apenas 0,1% poderia suprir as necessidades de energia do mundo inteiro por mais de 20 milhões de anos.

Fonte: site New Atlas

Pesquisador afirma que carros movidos a hidrogênio são uma má ideia

Pesquisador afirma que carros movidos a hidrogênio são uma má ideia

Anthony Patt, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia, afirma que o hidrogênio seria apenas um transportador de energia, como a eletricidade, e não uma fonte de energia sustentável. Mesmo o “hidrogênio azul” não seria benéfico, ao possuir ineficiências em seu método de produção que levam a emissões de mais gases do efeito estufa do que petróleo e gás natural. As informações são do site Futurism.

Fonte: https://futurism.com

Tecnologia premiada para armazenamento de energia em grande escala

Tecnologia premiada para armazenamento de energia em grande escala

Nova bateria ecológica para armazenamento de energia em grande escala: o dispositivo se baseia em duas inovações — a fabricação de eletrodos à base de madeira e um novo tipo de eletrólito à base de água. A bateria possui uma densidade energética similar a baterias de chumbo-ácido, mas é sustentável, segura contra incêndios e possui baixíssimo custo de fabricação. As informações são do site ScienceDaily.

“Nossos resultados permitem o armazenamento de energia orgânica segura e ambientalmente sustentável com alta densidade de potência, 5 kW / kg, onde os eletrodos são fabricados a partir de material à base de madeira em uma impressora. Devemos, no entanto, aumentar a densidade de energia: nossas baterias orgânicas são melhores do que os supercapacitores normais e têm quase o mesmo desempenho que as baterias de chumbo-ácido. Mas as baterias de íon-lítio são melhores “, diz Xavier Crispin.

Fonte: https://www.sciencedaily.com