Lixo nuclear armazenado poderia gerar energia elétrica nos EUA por 100 anos

Lixo nuclear armazenado poderia gerar energia elétrica nos EUA por 100 anos

Reatores nucleares rápidos, tecnologia muito segura desenvolvida na década de 60, está sendo reavaliada por duas startups, Oklo e TerraPower (esta última fundada por Bill Gates). Atualmente, a Rússia é o único país que produz eletricidade com reatores rápidos, mas a China e Índia têm planos para construir seus próprios reatores.

Fonte: CNBC

Rússia irá recrutar profissionais de TI dentro do sistema prisional do país

Rússia irá recrutar profissionais de TI dentro do sistema prisional do país

Detentos poderão trabalhar para empresas russas remotamente. Após a invasão da Ucrânia, a Rússia tem perdido centenas de milhares de especialistas na área por emigração. Em março deste ano havia quase 95 mil vagas em TI abertas no país, uma queda de 25% menor em comparação a fevereiro porque muitas empresas estariam revisando planos e abandonando projetos.

Fonte: site Krebs on Security

Ações da Netflix despencam 27% após queda no número de assinantes

Durante o primeiro trimestre deste ano, a companhia perdeu 200 mil usuários – a primeira queda em mais de 10 anos – e espera perder mais 2 milhões nos próximos meses. A suspensão dos serviços na Rússia e o aumento no compartilhamento de senhas entre 100 milhões de usuários, quase metade da base de 221,6 milhões de assinantes, seriam os fatores. A Netflix agora estuda a criação de um plano com anúncios, mais barato, para atrair novos usuários.

Fonte: site TechCrunch

Backdoor em Linux, utilizado pela NSA por mais de uma década, é descoberto

Backdoor em Linux, utilizado pela NSA por mais de uma década, é descoberto

A empresa de segurança chinesa Pangu Lab afirma que o “Bvp47” é sofisticado, subvertendo sistemas de forma altamente direcionada em todo o mundo, pelo menos desde 2007, e já teria sido implantado contra mais de 287 alvos em 45 países, incluindo China, Alemanha, Japão, Índia e Rússia.

Fonte: site The Register

Ucrânia convoca hackers do país a lutarem contra a Rússia

Os voluntários serão divididos em unidades cibernéticas separadas, uma defensiva e outra ofensiva. A unidade defensiva irá preservar a infraestrutura, como usinas de energia e sistemas de água. A unidade ofensiva auxiliará os militares ucranianos a realizar operações de espionagem digital contra as forças russas.

Fonte: Reuters