Brasil é o terceiro país que mais baixou aplicativos no mundo em 2021

Brasil é o terceiro país que mais baixou aplicativos no mundo em 2021

O ano em que o mundo deve gastar US $ 135 bilhões – em aplicativos e jogos para celular em novo recorde: a Índia ficou em primeiro lugar, contribuindo com 20% do total de downloads globais nas lojas de aplicativos da Apple e Google, seguida pelos EUA (9%) e Brasil (8%). O editor de vídeos CapCut, desenvolvido pela ByteDance (dona do TikTok), foi o aplicativo mais baixado no mundo neste ano. O Telegram registrou o crescimento mais rápido em número de usuários. O YouTube foi o aplicativo com maior receita. As informações são da App Annie.

Fonte: https://www.appannie.com

TSE firma convênio com USP para testar eleição via mobile em 2024

TSE testará votação por smartphones em 2024

TSE firma convênio com USP para testar eleição via mobile em 2024: o tribunal firmou um convênio com a Universidade de São Paulo para digitalizar o processo eleitoral brasileiro, permitindo a votação através de aplicativos. A parceria faz parte do projeto “Eleições do Futuro”, lançado no ano passado, que busca por soluções de segurança, sigilo e eficiência no voto. As informações são do site Mobile Time.

Fonte: https://www.mobiletime.com.br

Tratamentos baseados em computadores e smartphones são eficazes na redução de sintomas depressivos

83 estudos testando aplicativos digitais para o tratamento da depressão

Tratamentos baseados em computadores e smartphones são eficazes na redução de sintomas depressivos: de acordo com uma pesquisa publicada pela Associação Americana de Psicologia, intervenções digitais possuem um papel valioso na oferta de tratamentos, especialmente quando acompanhadas por algum tipo de orientação humana. Embora não sejam tão eficazes quanto a psicoterapia face a face, essas ferramentas oferecem uma alternativa à crescente demanda por soluções de problemas relacionados à saúde mental durante a pandemia.

As intervenções digitais normalmente exigem que os pacientes façam login em um programa de software, site ou aplicativo para ler, assistir, ouvir e interagir com o conteúdo estruturado como uma série de módulos ou aulas.

Os pesquisadores realizaram uma meta-análise de 83 estudos testando aplicativos digitais para o tratamento da depressão, datando de 1990 e envolvendo mais de 15.000 participantes no total, 80% adultos e 69,5% mulheres. As informações são do site ScienceDaily.

“O ano de 2020 marcou 30 anos desde que o primeiro artigo foi publicado sobre uma intervenção digital para o tratamento da depressão. Ele também marcou um ponto de inflexão sem paralelo na conversão mundial de serviços de saúde mental de entrega face a face para soluções digitais remotas em resposta à pandemia COVID-19 “, disse o autor principal Isaac Moshe, MA, doutorando da Universidade de Helsinque. “Dada a adoção acelerada de intervenções digitais, é oportuno e importante perguntar até que ponto as intervenções digitais são eficazes no tratamento da depressão, se podem fornecer alternativas viáveis ​​para psicoterapia face a face fora do laboratório e quais são as fatores-chave que moderam os resultados. “

Fonte: https://www.sciencedaily.com

Provedora lança primeira conexão de 6.000 Mbps residencial no Brasil

Conexão de 6.000 MEGA

Provedora lança primeira conexão de 6.000 Mbps residencial no Brasil: a velocidade é simétrica para downloads e uploads. O plano “Atomic” da NAXI custa 999,99 reais por mês e é voltado para streamers, criadores de conteúdo e gamers. O serviço está disponível, por enquanto, apenas na cidade de Jaraguá do Sul (SC). As informações são do site TeleSíntese.

Fonte: https://www.telesintese.com.br

Ligações de telemarketing deverão ser identificadas pelo prefixo «0303»

Ligações de telemarketing deverão ser identificadas pelo prefixo «0303»

Nova regra da Anatel foi publicada no Diário Oficial da União. As operadoras de telefonia terão 180 dias para implementar a mudança e precisarão bloquear preventivamente chamadas de telemarketing ativo a pedido do consumidor (ligações para doações ou cobranças não entram na regra).

Outra inovação trazida pela nova regra diz respeito à responsabilidade das prestadoras pela adequada utilização dos recursos de numeração: cabe a elas empregar os meios tecnológicos necessário para coibir o uso fora das regras estabelecidas pela Agência. Com isso, a Anatel espera abrir mais uma frente no combate ao uso indiscriminado das redes de telecomunicações para a oferta indesejada de produtos e serviços. As informações são do site Convergência Digital.

Fonte: https://www.convergenciadigital.com.br